Digital representation
Digital representation thumbnail

António Passaporte

Description level
Collection Collection
Reference code
PT/CPF/AP
Title type
Atribuído
Date range
1917 Date is certain to 1971 Date is uncertain
Dimension and support
279 doc. fotográficos de 35 mm, 4x5cm, 6x6 cm, 9x6cm, 9x12cm, 10x15cm, 12x18cm, 13x18cm, entre outros; Suporte: vidro, película, papel; Polaridade: positivos e negativos; Cor: p/b; Processo Fotográfico: gelatina e sal de prata.
Extents
0.34 Metros lineares
5 Caixas
14 Folhas
Biography or history
António Pedro Passaporte nasceu em 24 de fevereiro de 1901, na cidade de Évora, de onde a sua família era oriunda. Terá sido pela mão do pai, o conceituado fotógrafo José Pedro Braga Passaporte, Photographo da Casa Real (estatuto concedido pelo rei D. Carlos em 1903), que desenvolveu o gosto e a arte da fotografia. Aos 10 anos de idade, e por decisão do pai, a família parte para Angola em resultado de tensões políticas e sociais que assolam o país. O regresso a Évora ocorre quando António Pedro Passaporte já havia completado 16 anos. Pouco tempo depois, os estudos prosseguem em Lisboa e é nessa altura que a sua participação em peças de teatro torna manifesto o seu fascínio pelo cinema e pela fotografia. A personalidade irrequieta e o ímpeto de novas experiências levam-no a partir para Madrid em 1923 onde viria a iniciar a carreira de fotógrafo. O emprego nos Laboratórios Cinematográficos da Madrid Films, aproxima-o da irmã do patrão, Gregória Blanco, com quem casa em 1927.

Mais tarde, e já como vendedor de papéis fotográficos e heliográficos da firma Charles Alberti, viaja muito por Espanha e Argentina onde aproveita para fotografar intensivamente. O interesse do então Ministro da Cultura e do Turismo Espanhol pelas imagens feitas em Espanha dá-lhe a oportunidade de editar postais onde passa a assinar com o nome pelo qual passaria a ser conhecido: Loty (uma mistura de Lopez com Alberty, inspirado nos nomes do casal para quem trabalhava na altura). A Guerra Civil em Espanha dita o fecho da firma e aproxima-o dos ideais comunistas. É então que surge a possibilidade de ingressar nas Brigadas Internacionais como repórter fotográfico, vindo a integrar o 5º regimento das tropas comandadas pelo oficial Lister, onde passa a ser conhecido pelo “Pequeno Moreno”. A missão seria descontinuada mais tarde por razões de saúde. Antes de regressar a Portugal, ainda trabalha por algum tempo no Serviço de Transmissões do Exército popular espanhol. Em 1939, e finda a guerra, muda-se para Lisboa onde continua a fazer da fotografia a sua profissão. Um ano mais tarde, e já em novas instalações, dedica-se, com a ajuda da mulher e dos filhos, à produção de postais ilustrados. A edição alusiva à Exposição do Mundo Português torna-se um sucesso e dita o envolvimento de toda a família e empregados. Exigente e minucioso no trabalho, António Passaporte, cuidava porém que algumas operações fossem apenas executadas por si. É também durante a década de 40 que se dedica a fazer um levantamento fotográfico do país. Para o efeito, adquire material fotográfico de vanguarda, cria um sistema de fixação do tripé ao tejadilho do automóvel, para daí poder captar os melhores ângulos, e viaja de norte a sul aos fins de semana fazendo jus à fama de “caçador de imagens”. O filho Rodolfo Passaporte acompanha-o em muitas dessas viagens. O conjunto de imagens da sua cidade natal, Évora, data em boa parte dessa década de trabalho frenético em que procura dividir-se entre o exigente trabalho de estúdio e as não menos exigentes e arriscadas viagens de fim de semana.

Tendo mudado de residência e de atelier por diversas vezes, abandona progressivamente a prática da fotografia a partir de 1965, em parte também devido aos efeitos da concorrência com a qual deixa de conseguir competir. Assim termina a agência "Fototécnica Loty", designação da sua empresa e arruma as máquinas fotográficas, segundo diz o seu filho Rodolfo (in Velhas Fardas, Estado Novo: Fotografias de António Passaporte/[org.] Encontros de Imagem, Arquivo fotográfico [da Câmara Municipal de Lisboa], Braga:1998).

Nos últimos anos de vida dedica-se a escrever as suas memórias da Guerra Civil de Espanha e à investigação das origens da sua família.

Vem a falecer em Lisboa, em 1983, aos 82 anos de idade, atingido por uma doença que afetava a memória.

Functions, ocupations and activities
Fotógrafo
Internal structure/genealogy
António Pedro Carreta Passaporte nasceu em Évora, a 24 de janeiro de 1901 e faleceu em Lisboa, em 1983. Filho de José Pedro Braga Passaporte e de Helena Maria Carreta. Em 1927, casa com Gregória Ascension Romero Calleja Blanco. No mesmo ano, em Madrid, onde vivem, nasce o seu filho Rodolfo Leão Romero Passaporte.
Custodial history
Não se sabe como é que esta documentação chegou às mãos deste leiloeiro/livreiro, contudo atenta a quantidade de documentos à venda no leilão é bem provável que tenham sido adquiridos aos herdeiros do autor.
Acquisition information
Documentação adquirida por compra no Leilão de Nuno Gonçalves, Leiloeiro, Livreiro UNIP., Lda., ocorrido em 25 de outubro de 2008, em Lisboa.
Scope and content
Este conjunto de lotes de documentos fotográficos reúne imagens maioritariamente captadas em Portugal e Espanha. Ilustram paisagens panorâmicas, aspetos da vida quotidiana, festas, romarias, procissões, obras públicas, retratos individuais e de grupo, aspetos do trabalho no campo, aspetos do trabalho numa fábrica/oficina de automóveis, manobras com motas e equipas desportivas do Colégio Nuno Álvares, em Tomar. Algumas delas foram produzidas em Macedo de Cavaleiros, Vouzela, Viana do Castelo, Figueira da Foz, Alcochete e Tomar. Outras em Salamanca e Madrid. O conjunto inclui ainda reproduções de documentos e também imagens da Guerra Civil Espanhola.
Arrangement
Classificação dos documentos em categorias seguindo a organicidade do conjunto (lotes correspondiam a caixas/envelopes) de acordo com as áreas temáticas que o produtor estabeleceu, procedendo apenas à ordenação cronológica.
Access restrictions
Parte da documentação está acessível em cópia digital e outra parte está não acessível, porém poderá tornar-se acessível sob pedido ao CPF e de acordo com as exceções previstas no nº 2 do artº 79 do Código Civil vigente.
Conditions governing use
A reprodução de documentos encontra-se sujeita a algumas restrições tendo em conta o tipo dos documentos, o seu estado de conservação, o fim a que se destina a reprodução, às normas que regulam os direitos de propriedade e à legislação sobre os direitos de autor. A utilização da reprodução para efeitos de publicação está sujeita a autorização do Diretor de Serviços do CPF. O serviço informa, caso a caso, das opções disponíveis.
Language of the material
Português
Other finding aid
Digitarq (base de dados de descrição arquivístiva).
Related material
O Arquivo da Câmara Municipal de Lisboa detém 264 u.i. com 13 109 documentos fotográficos (negativos de vidro e película em acetato de celulose).



A Câmara Municipal de Cascais, em 1990, comprou da coleção do fotógrafo, negativos de vidro e película, dos trabalhos dedicados a Cascais -

http://www.cm-cascais.pt/xarqweb/(S(5xtu34551mh1kvnwozazit45))/SearchResultOnline.aspx?search=COTA+DO+FUNDO%3a+G2&type=PCD&mode=1&page=0&submode=0&useaut=0&useesp=0&res=0;



A Câmara Municipal de Évora adquiriu por compra a Rodolfo Passaporte, em 1996, 412 negativos que fazem parte do acervo do Arquivo Fotográfico Municipal de Évora;



A Câmara Municipal de Mafra adquiriu, a doze de Abril em 1996, 640 negativos e positivos de vidro e película, referentes a Mafra e Ericeira, pelo valor de 300.000$00, a Rodolfo Passaporte, filho de António Passaporte - http://arquivo.cm-mafra.pt/details?id=2050.



O Arquivo Nacional da Torre do Tombo tem na sua posse 284 positivos em papel (provas vintage) assinadas pelo autor - http://digitarq.arquivos.pt/details?id=1202753;
Notes
Nota ao Título das ui e ds: A atribuição dos títulos respeita quer as inscrições nos envelopes quer as legendas dos bilhetes postais impressos.

Creation date
12/20/2013 10:09:48 AM
Last modification
2/8/2019 4:08:35 PM
Record not reviewed.